Nova fase da coleta de assinaturas no DF: preencha nosso formulário online

A partir de hoje, 02 de outubro, o Partido Pirata no DF promove uma nova fase de coleta das assinaturas necessárias para a formalização perante a Justiça Eleitoral.

Pelas próximas, qualquer pessoa que vote no Distrito Federal (e não seja filiada a outro partido político) poderá preencher um simples formulário online e receber por email as instruções detalhadas para confirmar presencialmente o seu apoio à criação do Partido Pirata.

Finalmente, no dia 30 de outubro, de acordo com a demanda evidenciada pelas respostas, organizaremos um ou mais postos de coleta de assinaturas, nos locais em que houver maior concentração de pessoas interessadas. Com toda a facilidade, você poderá simplesmente comparecer e assinar a ficha, já impressa e devidamente preenchida com todos os seus dados. Atualmente, a assinatura em papel ainda é necessária, de acordo com a legislação e a regulamentação vigentes.

As datas foram escolhidas para coincidir com os dias em que, nos demais colégios eleitorais do Brasil, são promovidas as votações para o primeiro e o segundo turno das eleições municipais desse ano.

Para facilitar a memorização, foi criado ainda o link curto bit.ly/apoiopiratas. Divulgue o máximo que você puder.

Precisamos conseguir pouco mais de 1,6 mil (mil e seiscentas) assinaturas em todo o Distrito Federal para que façamos a nossa parte, no total de 500 mil assinaturas a serem coletadas em todo o Brasil.

Caso você tenha dúvidas ou sugestões, fique à vontade para usar o campo de comentários abaixo, ou fale conosco pelo telegram.

Sobre Paulo Rená

Paulo Rená da Silva Santarém é jurista, ciberativista e flamenguista. Chefe de pesquisas do Instituto Beta: Internet & Democracia. Integrante fundador do Partido Pirata do Brasil. Em 2010 obteve o título de mestre em Direito, Estado e Constituição pela Universidade de Brasília com a dissertação "Direito Achado na Rede: a emergência do acesso à Internet como direito fundamental no Brasil", na qual recupera a história recente da mobilização social contra o AI-5 Digital até o surgimento do Marco Civil da Internet no Brasil. Servidor público federal do Tribunal Superior do Trabalho desde 2004. Entre 2009 e 2010 atuou na Secretaria de Assuntos Legislativos do Ministério da Justiça, onde foi gestor do projeto de elaboração coletiva do anteprojeto de lei do Marco Civil da Internet no Brasil. Entre junho e setembro de 2012 coordenou o desenvolvimento da pesquisa Modelos de Negócios Abertos ("Open Business Models") pelo Centro de Tecnologia e Sociedade da Escola de Direito da Fundação Getúlio Vargas.
Esse post foi publicado em Ações, Apoiamento, Formalização, PPBr-DF e marcado , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s